Dia Internacional da Tolerância



No dia 16 de Novembro comemora-se mais um dia internacional dedicado à tolerância.
A tolerância corresponde à aceitação de perspectivas diferentes relativamente à cultura, à religião, ao género, à cor da pele, à diferença etc,
É um tema muito importante já que a tolerância tem implicações nos conflitos de pessoas, comunidades e estados.
A tolerância é a base da compreensão e respeito mútuo dos seres humanos.

Comemorar este dia é um contributo à reflexão e partilha de ideais enquadrados na defesa dos direitos humanos na sua globalidade.

A tolerância promove maior consciência e respeito pelos. direitos humanos.

A tolerância deve começar em cada um de nós.

A tolerância não deve ser encarada como adquirida antes pelo contrário deve ser debatida, encorajada e ensinada.

A Amnistia Internacional é uma organização onde convivem pessoas das mais diversas opções políticas e ideológicas sendo assim uma expressão de tolerância.
A AI trabalha “por um mundo em que cada pessoa possa desfrutar de todos os direitos humanos contidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos e em outras normas internacionais pertinentes” (1). A luta pela Declaração Universal dos Direitos Humanos é simultaneamente uma luta pela tolerância porque a Declaração é um dos expoentes da tolerância quando perspectiva direitos para todos os cidadãos.

Os preceitos e ideais definidos na DUDH devem estar presentes sempre que somos colocados perante problemas das pessoas e da humanidade. Temos de em nome da tolerância de promover a protecção dos mais vulneráveis sejam pessoas sejam países.

Vivemos uma época muito difícil com muitas tensões internacionais e guerras em muitos pontos do mundo. Vivemos uma época onde a tolerância deve acompanhar os nossos sentimentos pela luta e defesa da paz.
Vivemos uma época em que a tecnologia de guerra é muito eficiente e devastadora e cada passo dado no caminho da guerra resultará sempre na destruição das infra estruturas construídas ao longo de gerações e na morte em massa de milhares de pessoas num processo de tipo industrial. A relação entre os povos e os governos deve ser no âmbito da coexistência pacífica construída no entendimento activo fomentado pelo diálogo em colaboração positiva entre as partes.
A tolerância é uma base fundamental do respeito mútuo entre as pessoas, as comunidades e os estados. É importante construir uma sociedade em cada país e no mundo ligada aos valores humanistas e da tolerância.

A tolerância não significa evitar as lutas pelos direitos humanos, antes pelo contrário.
Os interesses dos sectores sociais mais fortes têm promovido tensões para manterem relações de distribuição da riqueza injustas pelo que as populações e os povos têm de tomar a seu cargo, com as suas organizações, uma frente de pressão sobre os governos para que os direitos humanos sejam respeitados.

A Amnistia Internacional na sua acção diária promove diálogo e pressão sobre governos e instituições através de relatórios, cartas e outros meios, em prol da defesa dos direitos humanos,

No site da Ai Portugal podemos ler o seguinte texto (2)
Podemos ajudar a parar as violações dos direitos humanos mobilizando o público no sentido de exercer pressão sobre governos, grupos políticos armados, empresas e órgãos intergovernamentais através de: 
·         Manifestações públicas;
·         Vigílias;
·         Campanhas de escrita de cartas;
·         Educação para os Direitos Humanos;
·         Concertos de sensibilização;
·         Lobbying directo;
·         Apelos direccionados;
·         Petições por email e outras acções online;
·         Parcerias com campanhas de grupos locais;
·         Actividades comunitárias;
·         Cooperação com grupos de estudantes.

No dia Internacional da tolerância dedique um pouco do seu tempo a pensar neste tema tão importante para a humanidade.

(1)   – Relatório Anual de 2012 relativo ao ano de 2011 sobre o estado dos direitos humanos no mundo – versão brasileira.
  

Sem comentários: