Oposição síria acusada de sequestros e tortura de detidos

Human Rights Watch denuncia abusos
É um relatório incómodo para a oposição síria porque equipara os métodos usados por grupos de dissidentes às técnicas pelo regime que dizem combater. A Human Rights Watch diz ter recolhido provas de sequestros, torturas e execuções cometidos por grupos armados ligados à oposição.
“As tácticas brutais do Governo sírio não podem justificar os abusos cometidos por grupos armados” dissidentes, afirma a responsável para o Médio Oriente da organização de direitos humanos, Sarah Leah Whitson, numa carta aberta dirigida ao Conselho Nacional Sírio, organização que tenta liderar e dar voz à fragmentada oposição ao regime de Bashar al-Assad. Na missiva, a HRW cita dezenas de vídeos colocados no YouTube pelos próprios opositores mostrando confissões, aparentemente obtidas sob coacção, de alegados membros das forças de segurança ou apoiantes do regime sírio. Em 18 dessas filmagens, adianta o grupo, os detidos apresentam sinais físicos de tortura, como nódoas negras ou ferimentos com sangue. A organização sediada nos EUA cita também um vídeo de um homem enforcado numa árvore frente a vários combatentes armados que dizem que o morto era um membro das Shabiha, as milícias pró-Assad. Há ainda denúncias de que grupos da oposição, maioritariamente sunita, atacaram xiitas e alauítas (minoria religiosa a que pertence Assad e a cúpula do seu regime), em acções que dão razão aos que temem que a revolta iniciada em Março do ano passado contra o Presidente sírio dê lugar a uma guerra civil opondo as várias comunidades do país. “A oposição precisa de deixar claro que pretende virar a página às violações da era Assad e acolhe todos os sírios, independentemente do seu grupo religioso ou background, sem qualquer discriminação”, exortou Whitson. O Conselho Nacional Sírio não respondeu ainda às incómodas acusações e terá dificuldade em satisfazer o pedido da HRW, uma vez que não tem controlo sobre as milícias activas no país, muitas das quais não respondem sequer perante o Exército Livre – estrutura informal que agrega civis armados e militares desertores que diz agir em defesa das populações civis que se sublevaram contra Assad.

in Público 2012-3-20

Sem comentários: