Uganda estuda pena de morte para práticas homossexuais


Um deputado do parlamento de Uganda apresentou um projecto de lei que prevê a pena de morte para práticas homossexuais.

David Bahati defende também a pena capital para os que fizerem sexo com portadores de deficiência, menores de 18 anos ou quando o acusado é HIV positivo, revela a "BBC".

A verdade é que, de acordo com alguns analistas, este projecto de lei tem grandes hipóteses de avançar, uma vez que, vários líderes políticos assim como o presidente da República tem vindo a defender posições contra gays.

Os defensores dos homossexuais em Uganda calculam que num país com cerca de 31 milhões, existam cerca de 500 mil pessoas com essa orientação sexual.



Fonte: Jornal i, 20 de Outubro de 2009

Sem comentários: