VIGÍLIA JUNTO AO CONSULADO DA TURQUIA, 5 DE JULHO, 21H

Como é do vosso conhecimento, foi preso o Presidente da Amnistia Internacional da Turquia (ver aqui mais informação sobre o caso: http://www.amnistia.pt/index.php…).

O grupo do Porto da Amnistia Internacional, associado a outros grupos, vai promover uma vigília junto ao Consulado da Turquia, na Rua do Calvário, 176, Gueifães, Maia. Nesta vamos manifestar a nossa indignação e protesto por tal situação e vamos entregar petições (ver o texto no site da AI Portugal).
Apelamos para que participem na vigília e levem amigos e familiares.


DIREÇÕES

Para quem vai do Porto:
Estrada que liga S. Mamede com a Maia - sentido S. Mamede para Maia; ao número 1196 da Rua da Santana viramos à direita para a Rua Nossa Senhora da Saúde; certa altura aparece à direita a Rua do Calvário; depois o Externato da Imaculada Conceição (Edifício grande e facilmente observável).

Alguns horários de transportes públicos:
STCP 603 (sair em Gueifães, zona C5): Marquês/Hospital de São João sentido Maia, tem transportes públicos até às 23:40 no Marquês. O último autocarro em Gueifães, às 00:02 horas.
STCP 604 (sair em Geuifães, zona C5): Hospital de São João sentido Aeroporto, tem transportes públicos até às 20:55 horas no Hospital de São João. O último autocarro em Geuifães, às 21:25 horas.

VIGÍLIA JUNTO AO CONSULADO DA TURQUIA, HOJE 5 DE JULHO, 21H.

Como é do vosso conhecimento, foi preso o Presidente da Amnistia Internacional da Turquia (ver aqui mais informação sobre o caso: http://www.amnistia.pt/index.php…)
O grupo do Porto da Amnistia Internacional, associado a outros grupos, vai promover uma vigília junto ao Consulado da Turquia, na Rua do Calvário, 176 , Gueifães, Maia. Nesta vamos manifestar a nossa indignação e protesto por tal situação e vamos entregar petições (ver o texto no site da AI Portugal).
Apelamos para que participem na vigília e levem amigos e familiares.



Para quem vai do Porto:
Estrada que liga S. Mamede com a Maia - sentido S. Mamede para Maia
Rua da Santana
Ao numero 1196 da Rua da Santana viramos à direita para a
Rua Nossa Senhora da Saúde
A certa altura aparece à direita a Rua do Calvário
Aparece o Externato da Imaculada Conceição (Edifício grande e facilmente observável)
Consulado no número 176 da Rua do Clavário

Alguns horários de transportes públicos
STCP 603 (sair em Gueifães, zona C5): Marquês/Hospital de São João sentido Maia, tem transportes públicos até às 23:40 no Marquês. O último autocarro em Gueifães, às 00:02 horas.
STCP 604 (sair em Geuifães, zona C5): Hospital de São João sentido Aeroporto, tem transportes públicos até às 20:55 horas no Hospital de São João. O último autocarro em Geuifães, às 21:25 horas.

LIBERTEM TANER KILIÇ!

Caros Amigos e Amigas da AI,

O presidente da AI - Turquia (Taner Kiliç) foi detido e é mais um dos milhares de pessoas que os dirigentes/governantes políticos (Presidente Erdogan e outros) estão a prender milhares de pessoas fora das regras democráticas, sem respeitarem os direitos humanos.
As autoridades turcas, já publicaram declarações onde o mencionam como presidente da Amnistia Internacional. Prenderam-no a ele e mais 22 advogados desta vez. A fundamentação da suspeita, pelo que percebemos até agora, deve-se ao facto de ele ter uma applicação no telemóvel que é da Fethullah Gulen… milhares de pessoas foram detidas com este argumento. Mas aguardamos desenvolvimentos de todas as partes.

É urgente que cada um de nós assine de imediato a petição que se encontra no site da AI Portugal.
É urgente que contactemos os nossos amigos no mesmo sentido.
É urgente divulgar nas redes sociais o que se está a passar.
Por favor estejam atentos a outros email que eu possa enviar sobre este assunto para o caso de virmos a organizar alguma iniciativa de rua no Porto (Consulado da Turquia, etc).

PETIÇÃO:
http://amnistia.pt/index.php…

Divulguem pelo máximo de pessoas. Taner Kiliç passou a vida a defender os direitos humanos dos outros e agora devemos defender os dele.

Saudações,

Manuel Cunha
(Coordenador do Grupo do Porto
da Amnistia Internacional)

8 de Março, Dia Internacional da Mulher

Neste dia Internacional da Mulher ainda há muitas vozes por ouvir. Apesar dos muitos direitos atingidos, principalmente no ocidente, ainda há muito que fazer no mundo inteiro. Em Portugal, o relatório anual da Amnistia Internacional chamou à atenção, uma vez mais, para a violência doméstica, sobretudo sobre as mulheres. Em muitos postos de trabalho, mulheres a desempenhar as mesmas funções que os homens não têm os mesmos salários. Por isso, hoje assinala-se um dia pela Igualdade de Direitos e de Oportunidades. Neste Dia não esperem. Partilhem as suas histórias!

 VEJA O VÍDEO AQUI!

TERTÚLIA FEMININA

Caras amigas e caros amigos,
Para comemorar o próximo dia 8 de Março, o grupo local 6 da Amnistia Internacional está a organizar uma tertúlia feminina.

O intuito é que seja um evento aberto, pouco formal, onde mulheres (e não só) participem com histórias, poesia, relatos ou que quiserem partilhar. 

Vamos conversar sobre o tema, relembrando o quanto a luta pela igualdade de género e de direitos mudou o mundo e promoveu avanços civilizacionais que beneficiam todos os seres humanos.

Uma luta de sucesso, apesar do muito que ainda falta fazer e resolver.
Estaremos à vossa espera no sábado dia 4 de Março, pelas 16 horas na Rua de Santa Catarina, 730 - 2º andar.

Solicitamos que divulguem este evento junto dos vossos contactos.
Agradecemos a atenção e contamos com a vossa presença!

NOVA SESSÃO DEBATE SOBRE UM DRAMA ANTIGO



SÁBADO, 28 DE JANEIRO, 16H na Rua de Santa Catarina, 730 – 2º andar no Porto: o GRUPO LOCAL 6 DA AMNISTIA INTERNACIONAL promove nova SESSÃO DEBATE ABERTA AO PÚBLICO sobre o drama dos REFUGIADOS.

Como os órgãos de informação não tratam convenientemente o tema dos refugiados, vindos das guerras do Iraque e da Síria, o Grupo do Porto da Amnistia Internacional mantém-se preocupado com o drama de milhões de pessoas.

Neste sentido, o problema mantém-se e é até agravado já que, a cada dia que passa aumenta o sofrimentos das pessoas, incluindo as crianças, que são 1/3 dos refugiados. Com a chegada do inverno este sofrimento agravou-se, provocando mesmo vítimas mortais.

A política desenvolvida pelos países da União Europeia é má pois baseia-se, neste momento, num acordo com a Turquia e este país não garante as condições mínimas que os refugiados precisam, isto é, não garante os direitos humanos elementares.

Visto a comunicação social não abordar o tema de forma profunda, devem ser as organizações não-governamentais a participar num movimento que permita divulgar esta realidade.

Os governos europeus não respeitam as suas obrigações éticas e colocam-se na ilegalidade ao não cumprirem o direito internacional relativo aos refugiados.

Assim, o Grupo do Porto resolveu organizar uma nova sessão de informação e debate sobre o assunto com Pedro Pedrosa, que chegou recentemente da Grécia, onde esteve a dar apoio e ajuda aos refugiados.

Pedro Pedrosa é membro da Amnistia Internacional Portugal e Coordenador do Cogrupos sobre os Direitos das Crianças da AI e esteve na Grécia a trabalhar como voluntário da Organização Não Governamental ERCI Emergency Response International.

Solicitamos que divulgue esta iniciativa nas redes sociais, ou que tirem uma impressão do cartaz e o coloquem no seu café,  local de trabalho, nas faculdades, etc.. Desde já o nosso agradecimento.

Cumprimentos,

Manuel Cunha
(Coordenador do Grupo Local 6 da AI)